GRUPOS DE TRABALHO

GT1: Governança Multicêntrica da Segurança

Coordenação: Prof. Dr. Eduardo Paes-Machado (UFBA) e Prof. Dr. Cleber da Silva Lopes (UEL)
Data/horário:
13 de junho, das 08hs30min às 12hs
Local: Sala 102 do CLCH

Este GT visa reunir estudos teóricos ou empíricos que analisam a pluralidade de atores – estatais e não-estatais, nacionais e transnacionais, formais e informais, legais e ilegais, territoriais e virtuais – que proveem serviços de segurança nas sociedades contemporâneas. O objetivo é discutir os padrões de governança multicêntrica da segurança presentes no interior dos Estados territoriais e nos espaços virtuais. São bem-vindas análises sobre (i) as causas dos processos de privatização e pluralização dos serviços de segurança; (ii) os projetos, mentalidades, tecnologias, recursos e estruturas institucionais que conformam a atuação dos provedores de segurança; (iii) as consequências da atuação desses provedores sobre a criminalidade, a sensação de segurança, os direitos humanos e a democracia; e (iv) a legitimidade e o controle sobre suas atividades.

GT2: Atores não-estatais e conflitos contemporâneos

Coordenador: Prof. Dr. Tomaz Paoliello (PUC-SP)
Data/horário: 13 de junho, das 14hs às 17hs30min
Local: Sala 102 do CLCH

As transformações decorrentes do processo de globalização têm gerado consequências nos conflitos contemporâneos. A formação de redes transnacionais de atores estatais e não-estatais modificou a forma como a (in)segurança impacta espaços e populações. Um conjunto complexo de atores – polícias, forças armadas, empresas militares e de segurança privada, milícias, grupos terroristas, grupos de crime organizado, etc – atua hoje como fornecedor de segurança para uns e geradores de insegurança para outros.  Outros atores não-estatais como ONGs e corporações também integram o sistema de atores participantes dos processos conflituosos. Este GT busca explorar as lógicas políticas e econômicas que perpassam os conflitos contemporâneos e a participação dos atores estatais e não estatais nesses processos. São bem-vindas análises dedicadas ao estudo da violência organizada em suas múltiplas dimensões, incluindo atores e processos de ocupação e intervenção internacional, peacekeeping e peacebuilding; a difusão internacional de tecnologias e práticas militares e de policiamento, incluindo reformas no setor de segurança e os repertórios transnacionais da guerra às drogas e do contraterrorismo; os processos de privatização e terceirização de funções militares; e estudos sobre crime organizado transnacional, os fluxos transnacionais de ilícitos e suas repercussões.

GT3: Teoria e Prática na Segurança Privada

Coordenação: Tatiana P. C. M. Diniz (ABSEG) e Marcy José de Campos Verde (ABSEG);
Data/horário: 14 de junho, das 08hs30min às 12hs
Local: Sala 120 do CLCH

A área de segurança privada orienta-se primordialmente por uma mentalidade preventiva que funciona por meio do gerenciamento de riscos. Essa mentalidade encontra fundamento em teorias sociais como a Escolha Racional e teorias criminológicas como a Prevenção Situacional do Crime e a Teoria das Atividades de Rotina. Essas teorias orientam muitas das práticas implementadas pela indústria da segurança privada e pelo setor de segurança corporativa. O objetivo deste GT é reunir acadêmicos, gestores e operadores da área de segurança privada para discutir questões teóricas e práticas associadas à prevenção do crime. Pretende-se estimular o diálogo entre a academia, a indústria da segurança privada e o setor de segurança corporativa de modo a contribuir para a construção e difusão de boas práticas de prevenção do crime.

GT4: Violência, Criminalidade e Segurança Pública

Coordenação: Prof. Dr. Cleber da Silva Lopes (UEL) e Prof. Dr. Rivail Carvalho Rolim (UEL)
Data/horário: 14 de junho, das 14hs às 17hs30min
Local: Sala 120 do CLCH

A América Latina figura como um dos lugares mais violentos do mundo. A persistência da violência na região e as respostas estatais a esse fenômeno têm sido objeto de discussões conceituais e empíricas variadas no âmbito de subáreas disciplinares como sociologia da violência, estudos sobre conflitualidade, criminologia, penologia, segurança pública, segurança cidadã e outras mais. Este GT receberá trabalhos de investigação teórica ou empírica oriundos dessas e outras subáreas que tenham no centro de suas análises o problema da violência e das respostas estatais ao fenômeno na América Latina. São bem-vindos trabalhos sobre processos de criminalização, crimes contra a vida, crimes patrimoniais, crime organizado, políticas públicas de segurança, polícias, justiça criminal, justiça juvenil, prisões e outros mais associados às respostas do Estado ao problema da violência